domingo, 23 de setembro de 2012

Desencontros

Sorrisos, cores, conversas,
Portas abertas,
E a espera continua...

O tempo, senhor do destino, mais uma vez 
tenta me acalmar...
Mas o tempo não é confiável....
intimamente perverso...mais uma vez me engana.

As ruas divergem. Não há possibilidades de encontros.
Cada rua perpassa caminhos diferentes, vidas diferentes...
E a esperança, amiga fiel do tempo, ainda tenta me iludir...
mas sei que não é possível...

A esperança, o tempo, as ruas, impossibilitam o meu verdadeiro ser.
E a virtualidade me socorre...
até quando?

Desencontros.

Artur e Capitão Glausber

Um comentário:

Márcia disse...

Oi, Artur!Desencontros...Vinícius de Moraes diria:"a vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros nessa vida". As ruas que divergem também convergem para algum lugar...as que perpassam caminhos diferentes podem também chegar a um lugar comum. "Todo ponto de vista é a vista de um ponto". Um abração!