sábado, 5 de março de 2011

Pulsos Morais

O imoral me agredi. Tenho a impressão que não sou nada! Não no sentido da minha existência física, pois essa não há como negar, mas sim de minha "inconsistência moral".
Tudo aquilo moralmente apreendido se esvai pelo ralo do imoral. Me sinto um estrangeiro num território inimigo tentando pronunciar uma unica palavra. Os pequenos pulsos morais pronunciados são refletidos por olhares desconfiados, sorrisos sarcásticos e um silêncio absoluto. Não há envolvimento moral nas questões obvias. O contexto imoral também procura me atingir. A verdade existe. 
Percebo a "inconsistência do meu ser". As verdades as quais eu estimava tanto  não existem mais. Estou só.
O imoral e seus mil argumentos infundados tenta vencer o meu pobre ser. Tenta tornar-me inconsistente, ou melhor, simplesmente ninguém. E eu mesmo sendo "ninguém", no leito da morte, ainda tenho pulso,  e o pulso, diria Titãs, ainda...  

Jamais deixarei de questionar o imoral.


MISÉRIA
CORRUPÇÃO
ANALFABETISMO
NEPOTISMO
INTOLERÂNCIA...
continue a lista você também...

Artur
Sunwapta Falls Jasper

2 comentários:

Iara disse...

Amigo, concordo contigo,e nesta lista coloco algo que nada tem de imoral, mas que as pessoas tem acvreditado tão pouco ultimamente, como se não existisse, não valesse a pena.
A amizade, essa quase está entrando na lista de coisas que não existem.
Abraços

EAD/JOYCE disse...

legal, amigo, sempre com esses questionamentos importantes. Gostei. bjs